A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL DOS MEIOS DE PAGAMENTO

meios de pagamento

O ano de 2020 trouxe profundas transformações para a rotina das pessoas. Mudanças na forma de se relacionar com a família, com amigos, com a casa, com o trabalho e, principalmente, com o dinheiro.

E nessas mudanças, as formas de realizar compras também ganharam novas possibilidades. Os pagamentos por meio de aplicativos, por exemplo, adquiriram novos adeptos.

Segundo uma pesquisa divulgada pela Agência Brasil, durante o período de pandemia houve um crescimento de 30% nas compras realizadas por apps. E isso é apenas um exemplo de como a era da digitalização está impactando cada vez mais a rotina de pagar contas e fazer transferências.

O comportamento do consumidor brasileiro, sempre ávido por novidades tecnológicas, aliado à necessidade de evitar espaços com aglomerações, impulsionou muitas novidades na relação com as instituições financeiras, como bancos, fintechs e operadoras de cartões de crédito – e é sobre esse assunto que falaremos a seguir.

Siga conosco e confira!

Como a pandemia impulsionou novos meios de pagamento

Ter de ficar em casa e evitar as idas a agências bancárias para resolver questões relacionadas a compras e pagamentos – além de uma infinidade de outras atividades que foram impossibilitadas – fez com que o brasileiro percebesse a necessidade urgente de adotar soluções tecnológicas em sua rotina financeira.

E foi nesse contexto que surgiram ótimas alternativas, como novos meios de pagamentos, sem que para isso fosse necessário o uso de dinheiro em espécie ou mesmo de cartões. Ir ao banco, por exemplo, virou uma necessidade apenas eventual!

Quais são os principais meios de pagamento modernos?

Entender quais são os novos meios de pagamento é um ponto fundamental, tanto para os clientes quanto para as empresas.

Segundo uma pesquisa da Getnet , em 2019 as compras e vendas sem necessariamente utilizar dinheiro em espécie chegaram a R$ 708,5 bilhões no mundo. E até 2023, há previsão de crescimento de 12% ao ano nas transações não monetárias.

Além disso, 68% dos entrevistados disseram utilizar o internet banking como método de pagamento principal, enquanto o uso de cartões sem contato já é uma realidade para 64%.

Nesse sentido, o relatório da World Payments Report 2020 indica que os usuários de carteiras digitais devem passar de 2,3 bilhões de pessoas, em 2019, para 4 bilhões de pessoas em 2024.

E com tanta disponibilidade para migrar em formatos digitais de pagamentos, é melhor entender quais são os principais meios já disponibilizados atualmente.

Pagamento Contactless

O período de pandemia fez com que os consumidores passassem a ter cuidados redobrados. Tocar em objetos de uso compartilhado tornou-se um risco enorme, já que eles podem ser a carona dos vírus. E nesse caso, o dinheiro é um alvo em potencial!

Como forma de burlar esse risco, houve um aumento de interesse do público por pagamentos por meio de cartões com a tecnologia NFC, que funcionam simplesmente com a aproximação do cartão junto à maquininha de cobrança, sem necessariamente o contato.

No Brasil, segundo a Mastercard , esse método já conquistou 69% das pessoas que usam cartão como meio de pagamento.

QR Code

É um método de pagamento muito popular em países asiáticos, como China e Singapura. No Brasil, vem aos poucos ganhando espaço pela popularização em peças publicitárias e lives transmitidas no YouTube. Nessas divulgações, há o reforço do quanto o QR Code é um método fácil para aproveitar condições exclusivas ou baixar aplicativos.

Ainda segundo a pesquisa da Getnet, 48% dos entrevistados dizem já utilizar o QR Code como principal meio de transferências bancárias.

Seguindo esse cenário, o QR Code também tem ficado cada vez mais popular nos pontos de vendas, aumentando incrivelmente as possibilidades dos varejistas com ações promocionais e outras soluções que conquistam o consumidor.

Autoatendimento

Os totens de autoatendimento presentes em lojas comerciais e até mesmo supermercados ganharam mais espaço e, com isso, uma maior aproximação com o público.

Dentre as vantagens desse tipo de terminal estão a economia com mão de obra humana, controle de higienização e promoção à rotina digital para pagamentos. Além de claro, o benefício de um atendimento mais ágil!

WhatsApp Pay

Surgiu como uma grande novidade no país e prometia enviar e receber dinheiro por WhatsApp utilizando cartões cadastrados no Facebook Pay.

Entretanto, acabou esbarrando nas restrições do Banco Central, que considerou a necessidade de “preservar um ambiente competitivo, que assegure o funcionamento de um sistema de pagamentos interoperável, rápido, seguro e transparente.”

Sem previsão para voltar a operar, o WhatsApp Pay nasceu com a grande promessa de ser um meio fácil, prático e popular para transações financeiras, assim como o Pix, que conheceremos no próximo tópico.

PIX: a transformação digital do dinheiro!

O Pix é um novo sistema digital criado pelo Banco Central para transferências e pagamentos que permite a transação instantânea de dinheiro por meio de chaves pré-registradas.

A grande vantagem do Pix para outros métodos com os quais concorre, como DOC e TED, é que nesses sistemas a instituição pode demorar um determinado período até que o procedimento seja concretizado, além de cobrar taxas que podem ultrapassar R$ 20.

Com o Pix, o dinheiro é transferido na hora, além de muitas instituições não cobrarem taxas de pessoas físicas pelo uso.

Para utilizar o Pix, basta registrar uma das chaves de acesso, como CPF, e-mail, número de celular ou chave aleatória junto à sua instituição bancária.

Para transferir o dinheiro ou fazer pagamentos, não será necessário informar dados como número da agência e conta. Basta informar uma das chaves cadastradas para que o procedimento seja realizado.

Rápido, direto e funcional, o Pix já movimentou bilhões de transferências desde que foi criado!

Qual será o futuro do mercado financeiro?

Com tantas mudanças em tão pouco tempo, é natural que surjam muitas dúvidas sobre como será o mercado financeiro. E entre as grandes possibilidades que guiarão estas mudanças, estão:

Inteligência Artificial

Dados da FEBRABAN indicam que 80% dos bancos já estão aumentando seus investimentos em soluções que convergem Inteligência Artificial e computação cognitiva.

Com isso, as máquinas terão capacidade cada vez maior de prever possíveis comportamentos dos clientes, sugerir investimentos e automatizar informações personalizadas com alto grau de interesse por parte do público.

Blockchain

É uma tecnologia antifraude desenvolvida para transações com criptomoedas, mas que se popularizou para outros tipos de transações financeiras.

Nesse sistema, são utilizadas cadeias de blocos com distribuição descentralizada, em que cada bloco de informações é salvo em um único sistema de criptografia complexa.

Big Data

Utiliza recursos das análises preditivas que permitem o entendimento mais aprofundado sobre os perfis de clientes.

Tem altíssima capacidade de analisar algoritmos em transações, identificando imediatamente possíveis tentativas de fraude.

A importância da segurança da informação

Com tantos recursos e ferramentas sendo desenvolvidos, não há dúvidas de que em um curto prazo a relação do público final com transações financeiras será totalmente remodelada.

Dessa forma, a nova era que vivemos evidência a importância de as empresas investirem na área da segurança da informação. Pensando assim, em estratégias para gerenciar os novos processos de pagamentos, ferramentas e um conjunto de políticas que possam prevenir e responder a quaisquer ameaças aos dados digitais da organização e seus clientes.

Para que esse plano seja posto em ação, é importante contar com o parceiro ideal.

Acesse nosso site e fale agora mesmo com um de nossos especialistas